Latest Entries »

SEI QUE SINTO

image

“De nada sei.
De tudo apenas sinto.
Se ausentes dos olhos meus,
Cá dentro forte estás.
Se meu olhar encontra o teu,
Tudo é paz no meu íntimo.
Não sei. Só sei que sinto”.

Samy Castro

A poesia

A poesia anda dissolvida
No ar, no chão, em mim
No passarinho sobrevoando…
Minha cabeça, meus olhos
Tudo acompanhando
Um batido de asas sem fim…
No pedalar que me lança
Apenas para frente
Para trás, apenas meu perfume
Fluindo num ar, agora, mais doce
Para trás, antigos costumes
O riso triste e o abraço não quente
Agora estou poetizada.

Thais Samara de Castro Bezerra

Só uma coisa…

image

Só uma coisa deveria pesar diante de todos os pesares…
Só uma coisa deveria ser única diante de toda e qualquer singularidade…
Só uma coisa deveria bastar quando tudo o mais não mais bastasse…
Só uma coisa deveria clarear quando tudo estivesse cegando…
Só uma coisa deveria ser certa quando tudo parecer errado…
Só uma coisa deveria ser condição, meio e fim…
O amor.

Thaís Samara de Castro Bezerra

A profundeza de Khalil Gigran

Conheci Kahlil Gibran quando li a obra “A Cidade sob o Sol”, de Khaled Houssein, ao descobrir que esse autor se inspirou em poesias do poeta Kahlil Gibran. E desde então… me apaixonei… Pelas verdades… Pela leveza… Mas, sobretudo, pela profundeza…

OBS: A interpretação de Letícia Sabatela é algo que encanta demais…

TRISTE CARTA DE AMOR

Material do Museu de Areia-PB

Material do Museu de Areia-PB

Em tudo estás. Se eu durmo, sonho contigo a noite toda. E de tão real parecer, desperto procurando por ti. E é triste tal despertar, pois tu não estás ao lado, tuas mãos não estão agarradas às minhas, teus pés não estão entrelaçados aos meus, não escuto o teu ressonar, não vejo teus olhos acordar e me olhar. E, se eu não durmo, as madrugadas são para pensar em ti, revirando-me na cama até que o sono tenha piedade de mim e se achegue. São madrugadas que parecem nunca terem fim: contemplo lua e luar, conto estrelas, e com elas construo desenhos, volto para a cama e nela me revolto, me sufoco de tanto não ter você.

Por isso suplico a Deus que te arranque do meu coração. Não de mansinho. Mas de uma vez por todas, como quem, de repente, é tomado por um surto de amnésia. Peço a Deus que te tires da minha mente. Mas não apenas isso. Suplico a Deus para que te retires dos meus olhos, que em cada canto enxerga tua cor preferida e procura incessantemente por ti. Suplico a Deus que te retires da minha boca, que só sabe desejar a tua, que só sabe pronunciar teu nome. A Deus, suplico para que te retires dos meus ouvidos, que buscam, desesperados, pela sua voz. Suplico que Ele te arranque do meu ar, que tantas e tantas vezes me falta de tanto por ti suspirar. Ah… E como suplico a Deus para que te arranques da minha pele! Pele esta que teima em arder só em te imaginar.

Mas, sobretudo, suplico a Deus para que te desenraize do meu sorriso… Este sorriso que passeia de mãos dadas com o meu olhar, que por horas me transfere para um outro mundo. Este sorriso que me faz perder a parada correta do ônibus, que me faz errar as ruas e parar por instantes toda desorientada. Que Deus te arranques do meu sorriso que insiste em não se conter, em não se esvair, em não se enfraquecer. Ah… Eu rogo a Deus para que Ele aparta esse sorriso teu que impregna no meu, como breu; esse sorriso meu que vive sedento do teu!

Que Deus tenha piedade de mim e, de uma vez por todas, te aniquiles dos meus sonhos, coração, das minhas vontades, alma, pele e dos meus olhos! Que Deus tenha misericórdia e outro tipo de castigo me conceda, outro que não seja a tua ausência, a tua distância, o meu querer-te sem tu me querer. E assim nunca mais sofrer, nunca mais desejar, nunca mais ter fome e sede de ti. Nunca mais te recordar, nunca mais por ti, meus olhos em vão te procurar. Nunca mais sentir a dor dilacerante e cortante de te amar sem tu me amares.  Para só então não mais sentir moinhos que moem o que de bom ainda me resta, não mais arder em febre da falta de ti, não mais se abater com essa doença que é a cólera de amor, e não mais precisar curar-me com a droga do amor.

THAIS SAMARA DE CASTRO BEZERRA

29 DE JULHO DE 2014

PEQUENA ORAÇÃO

DSCN1039

 

SENHOR, NÃO PERMITA QUE NADA CEGUE A MINHA VISÃO,

O MEU CORAÇÃO, A MINHA MENTE.

LIVRA-ME DE TUDO QUE POSSA OFUSCAR OS TEUS PLANOS,

NÃO PARA A MINHA CARNE, MAS PARA O MEU ESPÍRITO, PARA A MINHA ALMA.

SEJA TU A LUZ DO MEU CAMINHO, NÃO APENAS PARA ILUMINÁ-LO,

MAS PARA ME AQUECER ENQUANTO EU O PERCORRO.

AMÉM.

Thais Samara de Castro Bezerra

DSCN0838

 

QUERO TE AMAR PELA BRECHINHA DO MEU OLHAR

CÍCLIOS CERRANDO TUA IMAGEM

INSTANTES PARA CONTEMPLAR

QUERO TE AMAR PELA FRESTA DA PORTA

QUE DEIXA A LUZ ENTRAR

E EM TEU CORPO SE COMPORTA

QUERO TE AMAR PELO SOM DO TEU RESPIRAR

TEU VENTRE NUM DESCER E SUBIR

TUDO O MEU CORAÇÃO ESCUTAR

QUERO TE AMAR SEM CESSAR

NOS DETALHES INUSITADOS

E EM TODOS ELES NOS ETERNIZAR

Thais Samara de Castro Bezerra

UM POEMA BELÍSSIMO DO GÊNIO

José Saramago e Pilar del Rio

APRENDAMOS AMOR, COM ESTES MONTES

Aprendamos, amor, com estes montes

Que, tão longe do mar, sabem o jeito

De banhar no azul dos horizontes

Façamos o que é certo e de direito:

Dos desejos ocultos outras fontes

E desçamos ao mar do nosso leito

 

JOSÉ SARAMAGO

Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
e as estrelas lá no céu
lembram letras no papel,
quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
E eu escrevo apenas.
Tem que ter porquê?

– Paulo Leminski, Razão de ser.  

UM ALGUÉM

 sam2

Não quero alguém que apenas diga que me ama. Quero alguém que me faça sentir esse amor mesmo em silêncio. Entre o dizer e o sentir pode existir uma longa distância.

Não quero ser o primeiro e último pensamento de alguém. Eu quero mesmo é preencher exatamente o intervalo que aí se encontra.

Não quero alguém que esteja direto ao meu lado só porque isso é o mais justo. Quero alguém que, quando se vai, me faça chorar copiosamente.

Não quero alguém que faça com que eu esqueça de mim. Mas quero alguém que faça com que eu lembre sempre de “nós”.

Não quero alguém que ame apenas a grande ideia que se fez sobre mim. Quero alguém que encontre vício na realidade que eu sou.

Não quero alguém que apenas me proporcione momentos inesquecíveis. Quero alguém que faça com que eu sinta o eterno em um simples abraço.

Não quero alguém que viva procurando as palavras certas para as horas certas. Quero alguém que me faça sentir amor no silêncio acompanhado.

Não quero alguém que viva apenas com a certeza de que eu nunca irei. Mas quero alguém que me deixe livre para querer ficar.

Não quero alguém que faça tudo do jeito que eu gosto. Quero alguém que delicadamente me surpreenda, como arrancar sorrisos quando eu estiver muito brava.

Não quero alguém que sinta pena de mim. Quero alguém que me encoraje cada vez mais, sem esquecer de me alertar para as possíveis decepções, mas também sem fazer desse alerta a parte principal.

Não quero alguém que faça minha pele vibrar e arder nas horas mais óbvias para isso. Quero alguém que, mesmo muito distante, faça meu coração pulsar impetuosamente.

Não quero alguém que insista para que eu mude. Quero alguém que complacentemente compreenda os meus modos.

Não quero alguém que contabilize as coisas boas que faz para mim. Quero alguém que não transforme as mágoas em armas para usá-las nas horas mais críticas.

Não quero alguém que concorde em tudo comigo. Quero alguém que, no mínimo, apenas me escute.

Não quero alguém que me leve para sair apenas nos finais de semana. Quero alguém que transforme um pedaço da quarta-feira em sábado e um intervalo em uma singela oportunidade.

Não quero alguém que apenas me diga que tudo ficará bem. Quero alguém que me faça sentir-se bem.

Não quero alguém que apenas me ligue várias vezes para dizer que me ama. Quero alguém que me carregue no meio da semana para assistir a um lento pôr-do-sol.

Não quero alguém que apenas diga que me ama para as pessoas. Quero alguém que me faça ficar paralisada por horas a observar a sua marca deixada na cama e no travesseiro.

Não quero alguém que apenas diga que sem mim não pode viver. Mas quero alguém que sinta que viver comigo é mais doce.

Não quero alguém que me dê flores nas datas certas. Quero alguém que, em uma manhã de um domingo qualquer, plante algo comigo.

Não quero alguém impassível às minhas conquistas e derrotas. Quero alguém que me impulsione a ser uma pessoa melhor sempre.

Não quero alguém que apenas me leve a restaurantes, acompanhados de amigos ou não, e faça questão de pagar toda a conta. Quero alguém que me convide a observar as estrelas enquanto divagamos incessantemente ao saborear um simples vinho.

Não quero alguém que levante a voz para mim. Quero alguém que me dê motivos para continuar a ser benevolente.

Não quero alguém que tenha apenas um caminho previsível. Quero alguém que esteja disposto a mudar de rota sempre que desejável.

Não quero alguém que apenas prepare uma surpresa em público. Quero alguém que me acorde com um delicado deslizamento entre os nossos pés.

Não quero alguém que apenas decore minhas preferências de comida, de música, de bebida, de roupas ou de cor. Quero alguém que saiba identificar os meus diferentes sorrisos e olhares.

Não quero alguém que apenas faça algo por mim por ser a coisa certa a ser feita. Quero alguém que sinta prazer em me preparar um simples café.

Não quero alguém que fique a me olhar até que o ônibus suma. Quero alguém que feche os olhos antes mesmo de me ver partindo

Não quero alguém que enxugue as minhas lágrimas. Quero alguém que sinta a minha dor e chore junto comigo.

Não quero alguém que apenas diga que me ama. Quero alguém que tenha necessidade de entrelaçar seus dedos nos meus.

Não quero alguém que apenas saiba me despir do modo mais óbvio. Quero alguém que tenha prazer em me despir com os olhos

Não quero alguém que faça amor apenas com o meu corpo. Quero alguém que faça amor com a minha alma, pois será a única coisa inteira que esse alguém poderá ter de mim em todos os tempos.

Não quero alguém que me acorde desesperadamente dos meus pesadelos. Quero alguém que apenas segure a minha mão até que eles acabem.

Não quero alguém que fique procurando explicação em tudo. Quero alguém que não precise entender, mas que ache graça quando eu estiver andando olhando para o céu à procura de nuvens.

Não quero alguém que apenas me oriente a agir de modo mais adequado. Quero alguém que não tenha vergonha quando eu fizer algo bobo, como dançar olhando para o reflexo dos meus movimentos em seus olhos.

Não quero alguém que sinta minha falta. Quero alguém que me prenda de tal modo que eu jamais queira deixar isso acontecer.

Não quero alguém que apenas diga que sente saudades. Quero alguém que me sufoque de tanta ansiedade muito antes da hora do reencontro.

Não quero alguém que diga que morreria por minha causa. Quero apenas alguém que leia um livro para mim quando eu não mais existir.

Não quero alguém que apenas diga que me ama. Quero alguém que me faça sentir a certeza de que o meu amor se desdobrará por todas as vidas possíveis.

Não quero alguém que apenas me tenha, que apenas me mereça ou me complete. Eu quero alguém que me baste.

Quero alguém que me faça sentir o exagero do tudo. Não quero alguém que me faça sentir em um mar do nada mesmo depois de parecer ter sentido quase tudo.

Não quero alguém que me faça conhecer o vazio quando tudo o que mais quero é transbordar…

THAIS SAMARA DE CASTRO BEZERRA

 

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 409 outros seguidores