Certas crenças passam... Umas como nuvens passageiras... Mas outras, nunca passam... Estão sempre se fortalecendo ou se refazendo...

Certas crenças passam… Umas como nuvens passageiras… Mas outras, nunca passam… Estão sempre se fortalecendo ou se refazendo…

 

Ando descrente das pessoas…

Ou melhor, não ando… Decidi parar por um bom tempo…

Decidi parar de alimentar a crença na grande preocupação dita pelas pessoas… Parei naquele ponto em que eu devo ser aquela que mais deve se preocupar comigo mesma…

Não ando mais com a crença de quem diz ser minha melhor amiga… ou melhor amigo… Eu parei naquele ponto que eu sempre acreditei: admirar o melhor de cada um que diz ser meu amigo… ou minha amiga…

Decidi não andar mais com a crença nas palavras bonitas… Parei naquele ponto das palavras que melhor descrevem qualquer que seja a realidade. E, acreditem, elas também são dignas de admiração, ainda que nos firam…

Não ando mais com a crença de esperar que alguém mude. Parei naquele ponto de deixar que alguém se sufoque com suas não-mudanças…

Decidi não andar mais com a crença de amor com pesos iguais. Parei naquele ponto de, o que eu tiver de amar, que eu apenas ame, sem me preocupar se o próximo também assim o faz…

Não ando mais com a crença de que sou capaz de mudar o mundo. Parei naquele ponto em que eu penso no que eu posso fazer pelas coisas ou pessoas que estão ao meu alcance…

            Decidi parar de andar atrás de quem sabe onde me encontrar. Parei naquele ponto de garantir a certeza de que podem contar comigo e, quando precisarem, saberão me ligar, saberão meu endereço e saberão que eu não negarei nada… E, se ainda assim, de nada souberem, precisando muito, farão de tudo para me encontrar… E, não precisando, se achegarão sem nem mesmo avisar…

            Decidi seguir com uma crença: a de não se revoltar por esperar demais das pessoas. Não me revolto por esperar uma relação de troca. Desde cedo, aprendi a nunca esperar. Revolto-me, sim, com o fato de uma pessoa doar-se naturalmente por inteira, e a outra pessoa nem ao menos considerar e respeitar isso. Portanto, não se trata de esperar que a outra pessoa faça a mesma coisa… Apenas que ela não manche o que foi feito por inteiro…

            Enfim, quase tudo nessa vida líquida anda para o caminho da descrença… Alguns grandes amigos transformam-se em grandes estranhos… Outros estranhos passam a ter atitudes que só alguns grandes amigos teriam… Os pais constroem os sonhos para seus filhos, e não permitem que seus filhos, desenhem, aos poucos, seus próprios sonhos. Parecem acreditar que o fato de lhes fornecerem os lápis, os filhos tem que desenhar o que os pais querem. Ninguém mais conhece a essência da palavra tolerância. De fato, é difícil praticar a tolerância. Mas é algo urgente a se fazer. É preciso que, antes de tudo, nos coloquemos no lugar do outro para sentir suas crenças e só então balancear as nossas… E, mesmo que tudo se encaminhe para a descrença, é muito provável que se mude de caminho… A crença…

Thais Samara de Castro Bezerra

Anúncios