d

São ruas de amarguras

Que meus pés percorrem

Brasas! Queimaduras!

Piedade, Senhor!

Lágrimas escorrem…

 

São céus escuros

Que meus olhos testemunham

Nuvens rasas… Apuros…

Piedade, Senhor!

As injustiças comungam…

 

É deserto o que passo

Quanta solidão vivo

Nada falo! Tudo calo…

Piedade, Senhor!

Estejas comigo…

 

Thais Samara de Castro Bezerra

(escrito originalmente em 21 de outubro de 2013)

Anúncios