A poesia anda dissolvida
No ar, no chão, em mim
No passarinho sobrevoando…
Minha cabeça, meus olhos
Tudo acompanhando
Um batido de asas sem fim…
No pedalar que me lança
Apenas para frente
Para trás, apenas meu perfume
Fluindo num ar, agora, mais doce
Para trás, antigos costumes
O riso triste e o abraço não quente
Agora estou poetizada.

Thais Samara de Castro Bezerra

Anúncios